A VOZ DO PASTOR

Sábado, 01 Abril 2017 10:48

Vitória da Vida

Avalie este item
(0 votos)

O quinto Domingo da Quaresma antecipa o tema da Páscoa ao abordar a vitória da vida sobre a morte.

Há convergência entre as leituras e com o sentido da Quaresma: preparar-nos para as alegrias pascais; ajudar-nos a celebrar a semana santa com fé e esperança; aplicar à nossa existência às várias imagens de ressurreição inclusive a vitória contra o pecado mortal.

Ezequiel vê o retorno dos israelitas, após o segundo exílio, sob a metáfora da ressurreição, a partir da ossada com a qual simbolicamente os identificou. Trata-se da futura vitória da vida social, política e religiosa a ser restaurada com o auxílio de Deus: “vou abrir as vossas sepulturas e conduzir-vos para a terra de Israel; e quando eu abrir as vossas sepulturas e vos fizer sair delas, sabereis que eu sou o Senhor” (Ez 37, 12-13). Também hoje, como povo ou indivíduos, nós somos solicitados a realizar a restauração política e a promoção social como ação contínua e inacabada. Parece impossível diante da cultura da morte e de tantos impedimentos?   Como outrora, ouçamos o apelo da fé para sairmos do sepulcro da paralisia, que é o desânimo, vencendo o derrotismo que não deixa agir. Poderá acontecer um recomeço.

É ilustrativo que Jesus, diante da sepultura do seu amigo, ordena com voz forte: “Lázaro, vem para fora!” (Jo 11,43). A seguir, acrescenta: “Desatai-o e deixai-o caminhar!” (Jo 11, 44). A cena é solene e impressionante, pois o Mestre enfrenta o poder da morte, de consequências irreversíveis, conforme constatara Marta: “Senhor, já cheira mal. Está morto há quatro dias” (Jo 11, 29). Jesus, no entanto, age, enfrenta.  Porém, não dispensa a colaboração de quem desata. Além disso, cabe ao redivivo caminhar ou ir adiante. É ele quem sai do sepulcro.

O sentido do sinal é dado pelo próprio Jesus na conversa com Marta: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais” (Jo 11, 25-26). Quem é de Jesus experimenta a vitória da vida, sempre.

Quanto a Paulo, impregnado pela mesma fé e esperança na ressurreição de Cristo, afirma: “aquele que ressuscitou Jesus Cristo dentre os mortos vivificará também vossos corpos mortais por meio do seu Espírito que mora em vós” (Rm 8, 11). Trata-se de aplicação da profecia de Ezequiel, porém, atualizada na vida do discípulo: “Porei em vós o meu espírito e vivereis” (Ez 37, 14). Espírito Santo é quem leva adiante a redenção obtida por Jesus Cristo, fazendo-nos participantes da vitória sobre qualquer tipo de morte. De fato, é Ele o sopro vital.

Por tantas lembranças de ressurreição possível, o quarto Domingo da Quaresma serve de estímulo a mergulharmos no mistério da Páscoa do Senhor. Anima-nos a celebrarmos os acontecimentos pascais da nossa salvação perpetuados no tempo. Provoca a renovação de nossa profissão de fé no destino último: a ressurreição da carne e a vida em Deus.

Viver a Páscoa significa também ressuscitar com Cristo para a vida nova da graça. Por isso, acolhamos o convite feito por Paulo: “Celebremos a festa não com o velho fermento, nem com fermento de malícia e perversidade, mas com pães ázimos: na pureza e na verdade” (1 Cor 5, 8).

Enfim, não há situação irreversível para quem se abre ao ato de crer. Em qualquer círculo vicioso ou qualquer circunstância escravizadora na qual se encontre, poderá ouvir e realizar a voz do Mestre: vem para fora!

Lido 463 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Receba Notícias no E-mail

Cadastre seu e-mail e receba informações da Diocese de Iguatu

A Diocese de Iguatu

A Diocese tem uma dimensão territorial de 29 mil quilômetros quadrados, contento neste território 19 municípios, em sua circunscrição. Com uma população existente de 381 mil habitantes, residente em 67 mil domicílios, sendo destes domicílios 19 mil na zona urbana e 48 mil na zona rural.

Facebook

Search