A VOZ DO PASTOR

×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 718

Sábado, 26 Agosto 2017 10:53

Dia do Catequista

Avalie este item
(1 Voto)

  Preparemo-nos para celebrar, no domingo 27 agosto, o Dia Nacional do Catequista.

Não se pode limitar à simples menção especial na Oração dos Fieis ou a algumas palmas. A criatividade pastoral será capaz de organizar uma semana catequética ou ao menos um domingo com programação específica.

Parece-nos oportuno e até necessário aproveitar da circunstância para retomarmos a Exortação Apostólica “Catechesi Tradendae" de João Paulo II. Oferece linhas de abordagem interessantes. É verdadeiro Compêndio de intenção catequética. Escrita em 1979, mantém a atualidade em 2017.

Afirma que temos um único Mestre Jesus Cristo. Apresenta a centralidade do ensinamento da catequese: “Toda a vida de Cristo foi um contínuo ensinar: seus silêncios, seus milagres, seus gestos, sua oração, seu amor pelo homem, sua predileção pelos pequeninos e pelos pobres, a aceitação do sacrifício total na cruz pela redenção do mundo e sua ressurreição são o atuar-se de sua palavra e o realizar-se de sua revelação” (n. 9).

Constata que a catequese é uma experiência tão antiga quanto a Igreja. Acompanha a vida eclesial e a alimenta desde sempre. É tarefa prioritária. É renovada continuamente.  Incentiva, vigorosamente, que “a Igreja nos dias de hoje saiba dar mostras –como aliás soube fazer noutros momentos da sua história- de sabedoria, de coragem e de fidelidade evangélicas no procurar e no pôr em prática vias e perspectivas novas para o ensino catequético” (n. 17).

 Perspectiva a catequese na atividade pastoral e missionária da Igreja. É uma fase da evangelização, desde o primeiro anúncio até seu aprofundamento na vida dos cristãos, sacramental e testemunhal. Por isso, “a catequese é tão necessária para a maturação da fé dos cristãos, quanto para o testemunho desta no mundo” (n. 25).

A catequese colhe toda a boa nova na fonte. Ela retira “seu conteúdo na fonte viva da Palavra de Deus, transmitida na Tradição e na Escritura...que constituem um só depósito inviolável da Palavra de Deus, confiado à Igreja” (n. 27). Na prática, a catequese precisa voltar sempre às suas próprias fontes.

Todos precisam ser catequizados -crianças, jovens, adultos. Daí a necessidade da catequese diferenciada, aquela que contemple quem tem necessidades especiais, e seja permanente. De sorte que “Ninguém na Igreja de Jesus Cristo deveria sentir-se dispensado de receber a catequese” (n. 45).

A Exortação visualiza caminhos e meios para a catequese. Cita os modernos meios de comunicação social, lugares e momentos de reunião, homilia, livros catequéticos e catecismos.  Indaga, esperançosamente: “Como se poderia duvidar que a Igreja tem possibilidades de encontrar pessoas e meios para corresponder às exigências da comunicação com os homens do nosso tempo? ” (n. 50).

Indica como fazer catequese. Aponta para diversos métodos. Insiste na enculturação da mensagem. Reafirma a contribuição das devoções populares. Recorda a validade da memorização. Avalia que “A pluralidade de métodos pode ser sinal de vitalidade e de talento inventivo” (n. 55).

Demonstra a alegria da fé num mundo difícil. A catequese afirma a identidade cristã, com pedagogia original da fé, com a linguagem adaptada ao serviço do Credo, com a investigação da razão e a certeza da fé, ligada à teologia. Estimula que “O dom mais precioso que a Igreja poderá oferecer ao mundo contemporâneo, desorientado e inquieto, é o de nele formar cristãos bem firmes no essencial e humildemente felizes na fé” (n. 61).

Enfim, o ensino catequético compromete bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas, catequistas leigos, paróquia, família, escola, associações e movimentos, institutos de formação. Responsabiliza.

 

No Dia Nacional do Catequista, estimulamos os catequistas leigos (as) à leitura e ao estudo da Exortação sobre a Catequese Transmitida. Agradecemos pelo inestimável serviço prestado à Igreja. 

 

Lido 279 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Receba Notícias no E-mail

Cadastre seu e-mail e receba informações da Diocese de Iguatu

A Diocese de Iguatu

A Diocese tem uma dimensão territorial de 29 mil quilômetros quadrados, contento neste território 19 municípios, em sua circunscrição. Com uma população existente de 381 mil habitantes, residente em 67 mil domicílios, sendo destes domicílios 19 mil na zona urbana e 48 mil na zona rural.

Facebook

Search